Lei dos Food Trucks ainda precisa de regulamentação para ser aplicada

Comerciantes solicitam normas específicas para atuar em São José dos Pinhais

reuniao-regulamentacao-food-trucks

           Reuniram-se na manhã dessa quarta-feira (15), proprietários de food trucks do município; os secretários de indústria comércio e turismo, Gian Celli; governo, Augustinho Michalizen; e finanças, Milton Talamini e representantes da vigilância sanitária, para discutir a regulamentação da Lei nº 2650/15, que autoriza esse tipo de comércio em São José dos Pinhais.

            Ao fiscalizar o cumprimento da Lei de sua autoria, o vereador Luiz Paulo recebeu reclamações, por parte dos comerciantes, referentes à falta de regulamentação e intermediou o encontro. De acordo com a Lei, o Executivo teria 180 dias para regulamentar o comércio de food trucks, mas, após um ano e meio ainda não foi elaborado um decreto para normatizar a atividade.

               Na ocasião, os participantes discutiram questões que acreditam ser relevantes para que o serviço seja padronizado, proporcionando os mesmos direitos e deveres a todos os proprietários de food trucks do município.  “Sempre tivemos o apoio da prefeitura em eventos realizados no município, mas com a regularização da Lei, poderemos trabalhar com mais tranquilidade”, afirmou o comerciante Airton Garcia.

             De acordo com o secretário de indústria, comércio e turismo, Gian Celli, a pasta já vem estudando o tema há um bom tempo. “Encontramos diversas dificuldades relacionadas à regularização dos food trucks e ainda não chegamos a um consenso, mas acredito que com o apoio dos proprietários e com encontros frequentes poderemos superar os problemas”, disse.

          Os comerciantes definirão, ainda esta semana, uma comissão que irá representá-lo nos debates sobre a regulamentação. Também, está marcada para a próxima quarta-feira (22), reunião entre essa comissão, representantes do executivo e legislativo para o início dos trabalhos.

 

Renata Teixeira Gomes
Assessoria de Imprensa 16.02.2017

Deixe sua Opinião